TV Morrinho

O Morrinho, criado em 1997, é uma maquete feita a partir de pedaços de tijolos e instalada na favela do Pereirão, na Zona Sul da cidade do Rio de Janeiro. Dentro deste “brinquedo” encontram-se quase mil bonecos, personagens de um “jogo de ação” realizado segundo
as regras da favela, onde “bandidos” e “mocinhos” alternam os papéis. Em 2001, quando teve início a gravação de um documentário sobre a inusitada instalação, houve por parte dos seus
jovens criadores um grande interesse pelo manejo da câmera, e então surgiu a idéia de desenvolver uma iniciativa que viesse a proporcionar um treinamento nessa atividade.
Assim nasceu a TV Morrinho, que tem como base ações de capacitação profissional de jovens da comunidade na produção audiovisual e nas artes visuais, além de incrementar a própria
iniciativa, através da re-interpretação contínua da realidade, tendo o vídeo como instrumento-base de transformação
e reinvenção criativa.

Saiba mais

Salve Jorge!

O projeto Morrinho começa antes do projeto Morrinho, para ser mais específica, ele oficializa-se cinco anos após o seu nascimento.
Morrinho nasce no espaço lúdico da pré-adolescência de meninos moradores da favela do Pereirão no Rio de Janeiro.
São eles - dois irmãos, filhos de pedreiro, e outros sete moradores de casas consideradas pelo Estado Oficial como submoradias. Os meninos recolhem os restos de material de trabalho de seus pais, tijolos quebrados, e brincam. A brincadeira de espelhar o cotidiano da favela onde moram. Os bonecos, antes tampinhas e garrafas PET, mais tarde Legos associados a pedaços de brinquedos (armas de plástico, lantejoulas) e brinquedos inteiros como aviões, caminhões e carrinhos.

Saiba mais

Morrinho no MAR

Quem tem acompanhado as muitas matérias referentes a inauguração do MAR - Museu de Artes do Rio de Janeiro -, deve ter reparado em uma instalação chamada de "Morrinho", uma miniatura de uma favela feita por uns garotos.  Esta obra, uma réplica da favela Pereira da Silva, localizada no final da rua Pereira da Silva, em Laranjeiras, começou a ser constrída em1977, quando a família do garoto Nelcilan Souza Oliveira saiu de Campos para morar naquela comunidade e assustado com o ambiente encontrado e por recomendação de sua mãe o garoto ficava brincando sozinho no quintal de casa. Aos poucos, outros meninos foram surgindo e assim, começaram a construir  modelos e o ambiente das casas vizinhas. Portanto, esta obra tão singular tem muito de Campos, atesta o cineasta e jornalista Humberto Rangel, que descobriu a participação do campista na obra.

O projeto Morrinho faz parte da exposição com tema "O abrigo e o terreno" - arte e sociedade no Brasil. Além desta exposição o MAR está com outras três exposições intituladas "Vontade Construtiva, "O colecionador" e "Rio de imagens".
O MAR _ Museu de Arte do Rio - está aberto ao público co visitação de terça a sexta, das 10 às 17horas, assim como aos sábados, domingos e feriados.

Saiba mais

Projeto Morrinho

Como transformar a vida em linguagem? Morrinho. Uma maquete de 400 m2 na Favela do Pereirão no Rio de Janeiro reproduz, a céu aberto, numa construção impressionante feita de barro, tijolos pintados, material reciclado, fiação, um duplo
miniaturizado da própria favela. Caos-construção, de casas, ruas, miniaturas de carros, postes, objetos, num conjunto
impressionante. Uma maquete-miniatura- gigante e, mais, “vivendo” nela uma população de moradores e visitantes, bonecos feitos de blocos de LEGO que se movimentam pela mão de seus criadores.

Projeto Morrinho

Faça parte do projeto Morrinho...

A principal chamada à ação de um possível cliente, como solicitar uma cotação ou pesquisar no seu catálogo de produtos.